Selecione seu idioma

10 cidades brasileiras para se sentir na Europa
América do Sul

10 cidades brasileiras para se sentir na Europa

Viajar para a Europa é o sonho de muitos brasileiros e aqueles que já estiveram no Velho Continente sempre querem repetir. Com as restrições impostas pela União Europeia aos turistas brasileiros devido à pandemia, viajar a países como a Itália e Alemanha não é permitido atualmente, mas, por sorte, o Brasil conta com muitos destinos parecidos com cidades europeias.

Por isso, a Civitatis, empresa líder na venda de visitas guiadas, excursões e free tours no mundo inteiro, preparou uma lista de 10 cidades brasileiras para se sentir na Europa.

Blumenau (Santa Catarina)

Fundada em 1850 por um imigrante alemão, esta cidade do Vale do Itajaí mantém fortes raízes germânicas e a maior parte da população é descendente de alemães. A arquitetura, os costumes e as festas remetem ao país europeu e Blumenau se destaca especialmente por sediar anualmente a maior Oktoberfest fora da Alemanha.

Blumenau é uma das cidades brasileiras para se sentir na Europa
Arquitetura de Blumenau

Se você não tiver a sorte de visitar a cidade durante a festa da cerveja, poderá conhecer algumas das suas cervejarias e bares, assim como o Jardim da Cerveja, inspirado nos biergarten. Mas Blumenau também é um ótimo destino para quem gosta de museus e natureza.

Holambra (São Paulo)

O próprio nome dessa cidade do interior de São Paulo indica a forte presença da Holanda em sua história. Os colonos holandeses que fundaram Holambra decidiram deixá-la parecida ao seu país de origem na tentativa de amenizar a saudade e por isso é possível encontrar muitas semelhanças entre os dois lugares.

Moinhos e flores fazem parte da decoração de Holambra
Holambra, uma cidade inspirada na Holanda

Holambra é conhecida como a “cidade das flores” e não faltam tulipas! Além disso, é possível ver moinhos e casas similares às holandesas, que se destacam por serem estreitas e altas.

Alcântara (Maranhão)

Com uma trágica história relacionada à escravidão, Alcântara foi a residência de aristocratas e uma das cidades mais ricas do estado entre os séculos XVIII e XIX. 

Alcântara guarda uma história que simboliza a colonização
Construções históricas de Alcântara

Apesar de conservar diversas construções dessa época, muitas se tornaram ruínas que dão a Alcântara uma imagem ainda mais misteriosa. Entre aquelas que se mantêm em pé se destaca o Museu Casa Histórica de Alcântara, um sobrado construído no século XIX por um imigrante português e que, além da arquitetura típica da época, abriga móveis, pratarias, porcelanas e outros objetos históricos.

Paraty (Rio de Janeiro)

Uma das cidades brasileiras mais charmosas, Paraty se destaca tanto por suas belezas naturais quanto pela arquitetura colonial. Fundada no século XVI, Paraty foi a cidade escolhida por muitos portugueses para residir e ganhou importância econômica ao estar no caminho entre a cidade do Rio de Janeiro e Minas Gerais na época da descoberta do ouro. 

Paraty com suas tradicioanis janelas e portas coloridas
Casas típicas de Paraty

Seus casarões com portas e janelas coloridas atraem visitantes o ano inteiro, especialmente durante a FLIP, a Festa Literária Internacional de Paraty. Ao visitá-la, você se sentirá como em uma cidade pequena de Portugal.

Domingos Martins (Espírito Santo)

Esta cidade capixaba reúne o melhor das duas imigrações que marcaram sua história a partir do século XIX. Localizada na região serrana do estado, Domingos Martins mantém construções de estilo alemão e, inclusive, promove festas temáticas germânicas. A cidade também recebeu imigrantes italianos, algo que pode ser facilmente notado na gastronomia local. 

Além disso, Domingos Martins se destaca pelas belezas naturais, especialmente pelo Parque Estadual Pedra Azul, uma reserva com 1.240 hectares onde é possível fazer diversas trilhas.

Pomerode (Santa Catarina)

O nome desta cidade catarinense já nos dá pistas da sua origem, já que a região da Pomerânia está no norte da Polônia e da Alemanha e foram os imigrantes desse segundo país que colonizaram Pomerode. A maior parte da população é descendente de alemães e fala o idioma dos antepassados.

O grande destaque fica para a arquitetura de estilo germânico do início do século XX, mas a cidade também se destaca pela gastronomia e cultura. Além disso, Pomerode faz parte do Vale Europeu Catarinense, portanto, um passeio pela região é capaz de fazer qualquer um se sentir no Velho Continente.

Campos do Jordão (São Paulo)

Situada a 1.700 metros de altitude, Campos do Jordão é conhecida como a “Suíça Brasileira” por seu clima ameno com temperaturas que podem chegar a ser negativas. A gastronomia dessa cidade tem influência europeia, com destaque para os fondues e as cervejas.

Clima com temperaturas amenas e montanhas fazem de Campos de Jordão a Suíça brasileira
Campos de Jordão atrai visitantes por ser “a Suíça brasileira”

A arquitetura de Campos do Jordão também atrai visitantes, especialmente durante o inverno. Nessa época do ano, a cidade também promove eventos musicais. Entretanto, para quem prefere visitá-la com mais tranquilidade, o ideal é escapar do inverno.

Bento Gonçalves (Rio Grande do Sul)

Uma das cidades mais famosas da Serra Gaúcha, Bento Gonçalves guarda as marcas da colonização europeia, com destaque para a italiana. Com uma importante produção de vinhos, passeando por essa cidade gaúcha você se sentirá como se estivesse na Toscana.

Monte Verde (Minas Gerais)

Instalado na cidade mineira de Camanducaia, o distrito de Monte Verde chama a atenção tanto por suas construções de estilo europeu quanto pelas belezas naturais, já que a cidade está em plena Serra da Mantiqueira. A região oferece diversas atividades de ecoturismo, como trilhas e passeios de quadriciclo.

Em Monte Verde, houve uma imigração significativa de letônios, mas a cidade também oferece opções gastronômicas de outros países da Europa, como é o caso da alemã. A região é uma ótima opção para quem gosta de temperaturas mais amenas.

Penedo (Rio de Janeiro)

No Brasil são comuns as colônias italianas, alemãs, portuguesas… mas o Rio de Janeiro guarda uma colônia muito especial, a finlandesa. Sua história é inusitada: o finlandês Toivo Uuskallio recebeu um chamado para desbravar terras mais cálidas e se instalou em Penedo, onde fundou uma comunidade para viver em harmonia com a natureza no início do século XX.

Penedo mantém uma arquitetura e cultura similares às dos países europeus, com destaque para as fábricas de chocolate. Além disso, nesse distrito do Rio de Janeiro é possível conhecer a Casa do Papai Noel de perto ao visitar o parque temático Pequena Finlândia.

Mais em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *